quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Minha primeira aula de yoga: diários de uma (ex-)noiva (ainda) zen!

Depois da maratona pré-casamento, a tão sonhada viagem de férias e a luta com a obra e mudança pra casa nova, estabelecer uma nova rotina não tem sido nada fácil!
E aí que, depois de experimentar vários tratamentos lá no Dharma pra acalmar o corpo e a mente nesse período de mudanças, prometi que, quando eu voltasse, experimentaria o yoga pra continuar minha saga por uma vida mais zen e equilibrada!
E eu sempre quis fazer yoga, pratiquei uma vez, há anos atrás, mas depois não consegui conciliar com a minha rotina. Curto demais essa história de ter total domínio do corpo e da mente, de encontrar seu lugar no espaço, numa atividade que, além de relaxar, também te faz trabalhar a musculatura de todas as partes do seu corpo. E é exatamente isso que eu senti!
Juro que quando via fotos e vídeos da prática de yoga, pela leveza e calma com que são realizados os movimentos, achava que era super fácil. Mas não! Achei que tinha algum equilíbrio/flexibilidade por conta do balé, mas levei foi uma verdadeira coça da aula de yoga!
Me senti naqueles filmes de comédia romântica em que a personagem se atrapalha toda enquanto todos os outros alunos estão super concentrados! rsrsrs
Sério, dá uma pesquisada em posições de yoga no Google e tenta fazer por alguns segundos, você vai entender do que eu to falando!
Brincadeiras à parte, fiquei encantada com o domínio e a precisão com os quais são realizados os movimentos, em como se trabalha todo o corpo, a respiração, e como a atividade é uma arte, que carrega uma história milenar e significados em cada movimento a ser executado.
É preciso muita concentração, força e autoconhecimento pra praticar. E o mais legal é a vontade de se superar, de continuar praticando e conseguir ver a sua evolução e o aprimoramento da técnica a cada dia.
Update: há vários tipos de yoga. Eu pratiquei o Hatha: Ha significa sol e é representado pelo sol do seu corpo, a sua alma. Tha significa lua, que representa a sua consciência, a sua mente. Então o Hatha Yoga é a busca do equilíbrio entre as forças solar e lunar, ou seja, a união da mente com a alma.
Depois de suar a camisa, teve um momento super relax (mais ainda) pra repor as energias e praticar meditação. Quase dormi nessa hora! hahaha Impressionante como o corpo relaxa instantaneamente.
Me conta, algum praticante de yoga por aí? Alguém que quer começar a praticar?
Os mais experientes, por favor, desconsiderem a minha postura de iniciante e meu pouco conhecimento sobre a atividade. Prometo aprimorar a técnica!
E quem quiser experimentar, é só marcar uma aula lá no Dharma! Tem vários horários. Deixa as desculpas de lado!



Acompanhe também:
Facebook Twitter | Instagram

terça-feira, 25 de novembro de 2014

Como deixar um look de short e camiseta sofisticado com as peças certas!

Tempinhos atrás, a Facrisa, empresa juiz-forana especializada em semijoias, me convidou pra conhecer a marca. Como estava saindo em lua de mel, adiei o convite e, quando voltei, eles haviam separado peças lindas da nova coleção "Os clássicos são eternos" pra mim (e tão a minha cara que fiquei impressionada)!
Quando eu vi, a primeira coisa que pensei foi: "cara, com essas peças até um look de short jeans e camiseta fica phyno!"
Daí, foi isso que eu fiz! Vesti meu short jeans favorito com uma camiseta podrinha e fui acrescentando os acessórios:

Quase nunca uso brincão (vocês já devem ter percebido, né?). Acontece que, durante muito tempo, tinha alergia à quase todo tipo de material que colocava na orelha e aí acostumei com os brinquinhos pequenos. Agora, quando uso brinco grande acho que dá uma diferença tão grande, ainda mais de cabelo preso!
O anel foi amor à primeira vista e as pulseiras igualmente apaixonantes (boas pra misturar com outras e fazer aquele mix de pulseiras e metais que a gente adora)! Uma coisa que chamou muuito minha atenção foi a delicadeza das peças, sabe? Todas muito bem feitas, cheias de pequenos detalhes.
A Facrisa está presente no mercado há mais de 20 anos, se destacando pela qualidade das semijoias folheadas a ouro e prata, mesclando o estilo clássico às tendências do universo dos acessórios femininos. A venda é feita por meio de representantes espalhados por todo o Brasil. Pra conhecer mais, é só clicar aqui e seguir a marca no instagram e facebook.



Acompanhe também:
Facebook Twitter | Instagram

segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Os encantos de Fernando de Noronha: último episódio da minha lua de melno nordeste!

Ahhh, Noronha!
Como eu disse, sempre quis passar minha lua de mel lá! Ficava olhando as fotos e sonhando com o dia em que conheceria esse paraíso brasileiro e, de fato, é um paraíso mesmo!
Pra entrar na ilha, é necessário pagar a taxa de preservação ambiental. Custa em média R$100,00 por dia, por pessoa. É a forma que eles encontram de limitar o número de visitantes na ilha e investir em políticas para manter o local o mais natural possível. Só há dois voos por dia. As passagens às vezes são o mesmo preço que de viagens à Europa, então é preciso ficar de olho para encontrar promoções razoáveis.
Quando se chega lá, é preciso pagar também o cartão que dá acesso às trilhas que levam às praias de preservação. A ilha tem 17km² e boa parte dela faz parte do Parnamar (Parque Nacional Marinho). A outra é a APA (Área de Proteção Ambiental), que visa conciliar a ocupação populacional e o turismo com a preservação do meio ambiente.
Ficamos na Pousada Algas Marinhas, que era super bem localizada perto do centro histórico (a maioria delas são domiciliares, de madeira, super aconchegantes). No dia que chegamos, fizemos uma caminhada pra conhecer os arredores e pegamos uma trilha pelas praias do Cachorro, do Meio e da Conceição. Foi o suficiente pra já nos apaixonarmos pelo lugar!
No dia seguinte, fizemos um Ilha Tour, um passeio guiado que dura o dia todo, e nos leva às principais praias do arquipélago. Nosso guia, o Xaxá (TODO mundo conhece ele), além de excelente mergulhador, tira altas fotos dos turistas! Foi aí que conhecemos a Baia do Sancho (considerada a praia mais bonita do mundo pelo TripAdvisor) e a Baia dos Porcos, aquela do cartão postal da ilha os Dois Irmãos (chega-se nela pela Trilha do "Ai que lindo", pois é justamente essa a expressão que todo mundo tem quando dá de cara com esse visual)!
Nesse dia, fizemos também nossos primeiros mergulhos livres na Praia do Sueste e na Baia do Sancho (você pode levar seu snorkel ou alugar o equipamento lá por cerca de R$20,00 o dia). É incrível a transparência da água e a variedade de peixes que é possível ver! Vimos tubarões de vários tamanhos e nadamos do ladinho de tartarugas!
Depois, fomos ao Air France, conhecemos o Museu do Tubarão e terminamos o passeio assistindo ao por do sol do Mirante do Boldró!
No terceiro dia, fizemos um passeio de barco, que sai do porto e vai até o berço dos golfinhos, onde é possível ver vários deles saltando e nadando junto com o barco. Depois, mergulhamos na Praia do Sancho novamente e fizemos o passeio de prancha (são pequenas pranchas amarradas ao barco, que vão sendo puxadas devagarzinho e você consegue ver toda a vida marinha da Praia do Porto, inclusive uma embarcação naufragada há anos).
Nos outros dias, alugamos um buggy pra chamar de nosso e voltamos com calma nas praias que mais gostamos. Entre elas, a Cacimba do Padre, onde tem uma vista linda dos dois irmãos e barraquinhas de palha pra se proteger do sol, e a Baia dos Golfinhos, de onde se vê um por do sol super gostoso!
Ouvi muita gente falando que três dias era suficiente pra conhecer a ilha. Nós ficamos seis e ainda assim queríamos ter ficado mais. Só no último dia conseguimos agendar a entrada na praia do Atalaia. São piscinas naturais limitadas à entrada de um máximo de 70 pessoas por dia. Por isso, o ideal é já agendar esse passeio no dia da sua chegada e, quanto mais cedo, mais a maré tá calma e mais se pode ver as espécies e corais.
Como o Douglas disse, em Fernando de Noronha tem uma promoção que é "Pague 3 e Leve 1". Sim, as coisas são praticamente o triplo do preço que em outros lugares. E não é só para os turistas não, os moradores também reclamam que, devido ao difícil acesso e a impossibilidade de utilização dos recursos naturais, tudo é mais caro. Em compensação, o ambiente é extremamente preservado.
Por isso super vale a pena. As paisagens deslumbrantes e a paz que se encontra lá, não tem preço!

Acompanhe também:
Facebook Twitter | Instagram

sexta-feira, 21 de novembro de 2014

Blogagem coletiva: minha wishlist de Natal!

Ahhh, o Natal! Adoro essa época!
Gosto especialmente da sensação de expressar o carinho que sentimos pelas pessoas importantes e que estiveram presentes em nossa vida ao longo de todo um ano!
E como no ano passado, esse ano resolvemos fazer novamente o Blogoculto de Natal entre nosso grupo 7 on 7 de blogueiras queridas.
Para direcionar as escolhas dos mimos, fizemos listas de sugestões de presente e aí vai a minha (reparem que, depois do casamento, to querendo mil coisas pra casa - nunca achei que isso aconteceria! hahaha)

1 - Imã de geladeira da ManuMei: comecei a colar os primeiros essa semana! Quero a geladeira lotada desses adesivos marotos!
2 - Colar Vintage da TocaMágica: bijuterias nunca são demais! Amo colares e to doida num nesse estilo retrôzinho!
3 - Almofada colorida Lorde: já compramos o sofá da casinha nova! E agora quero muuitas almofadas divertidas!
4 - Livro Moda Intuitiva, da Cris Guerra: to querendo ler ele há um tempão, mas nunca encontro nas livrarias.
5 - Tapete divertido na Tapetaria: sim, minha casa precisa de um tapete! E esses moderninhos são uma graça!
6 - Armação retrôzinha, no Enjoei: eu sei que não preciso, mas to doida num óculos de grau! Sou dessas!

Não deixem de passar no blog das meninas para conferir as whishlist delas (tem um tanto de coisa legal que tenho certeza que você vai querer colocar na sua também):
BiaBellaCamilaCarlaLaiza e Ítala!


 Acompanhe também:

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Vestida para casar: meu vestido de noiva do casamento religioso

Sim, eu tive DOIS vestidos de noiva (e teria muitos outros, pq é muito ruim escolher um só, né?!)!
Como queríamos casar no campo (para efeitos civís), resolvemos fazer uma cerimônia mais íntima, no dia anterior, pra casar no religioso (já que na igreja católica não é possível fazer a celebração fora da igreja).
À princípio, seriam só nossos pais e padrinhos, e eu comprei lá no começo do ano um vestido curtinho, de tecido fino de poá pra usar na ocasião. Mas aí a proporção foi crescendo e acabamos convidando amigos e pessoas mais próximas e o vestido não parecia de noiva!
Ainda assim, também não queria nada como os vestidos de noiva tradicionais. Queria algo que fosse soltinho e com mangas, de renda, acinturado, longo, mas ainda assim remetesse a um tamanho mais curtinho (deu pra entender?).
E aí comecei a procurar pra comprar.
Mas que luta é esse com o comércio de noivas que acham que todas devem casar iguais?!
Procurei nas lojas tradicionais, nas lojas não tradicionais, na internet, e nada!
Então, como já não havia mais tempo, consegui uma costureira que salvou minha vida e fez o que eu tava pensando!

Ficou super simples, mas achei a minha cara e bem adequado pra ocasião, pois também marcamos o casamento religioso à tarde, começando às 17h.
Foi o primeiro casamento na igreja que escolhemos. Ela fica no bairro onde sempre morei e é recém construída, bem iluminada naturalmente e com uma simplicidade encantadora, de um jeito que você se sente em paz lá dentro!
Nas vésperas, minha mãe me deu um tercinho lindo, que entrei levando junto com o buquê, que foi bem diferente do que seria usado no dia seguinte!
Sim, também tive DOIS buquês!! :D
 
A sandália é da Santa Lolla e tinha comprado pro outro vestido. Quando mudei de ideia, já não dava mais tempo de trocar, então acabei usando ela mesma e acho que no final deu uma valorizada na produção.
Como no domingo usaria coque, no sábado preferi o cabelo mais solto, só preso atrás (não reparem no arroz entre os fios e os cachos desfeitos, isso foi depois que saímos da igreja e recebemos mil abraços apertados!). O penteado e a make foram feitas pela linda da Pam Weitzel, amiga querida que super deu conta de mim, minhas duas irmãs, minha mãe e minha madrinha bff brilhantemente em uma única tarde!
Bem, primeiro look noiva tá aí! Em breve mostro o segundo!
O que não faltou nessa união foi casar bem casado mesmo!! rsrs

Acompanhe também:

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Looks da semana de férias, parte II: lua de mel em Fernando de Noronha

Aee! Vamos à segunda (e glamourosa) semana de looks da lua de mel pra vocês!
Impossível não se inspirar com as belas paisagens de Fernando de Noronha e querer se vestir igualmente bem para compor a vista! rs
Em breve continuo meu diário de viagem contando um pouco sobre esse paraíso! Fato é que quando vi as fotos, fiquei com vontade voltar e fazer looks do dia praianos lá pra sempre! rsrs
Btw, pra visitar a praia mais bonita do mundo, eu estreei essa saia de crochê que comprei de artesãs lá em Jeri (to devendo post das comprinhas do mês também, né?)! Aí, pra ficar a cara da ryqueza, coloquei meu maiô da RYGY, o chapelão da mamis e camiseta cortadinha (pra dar um ar despretensioso) com um tercinho fazendo as vezes de colar. Pronto: manual de como parecer madame em poucos passos.
Uma pequena pausa pra observar esse visual:
Num fim de tarde na Baia dos Golfinhos, a minha escolha foi o vestidinho de corações bem levinho que já cansou de aparecer por aqui, com o coletinho jeans pra dar um charme e o lencinho amarrado no cabelo.

No dia em que fui gravar com o Luciano Huck... Mentira, foi só o dia que encontrei com ele na praia mesmo... Eu tava com o shortinho de pedras da Terr, que ganhei do desafio de blogueiras, junto com a camisa de marujo da Mr. Fly, boné de veludinho e óculos redondo! 
Já falei o quanto gosto de misturar e dar novas funções pra peças diferentes entre si, né?!

Pra terminar, look com a blusa de renda guipir, que foi compra de agosto (achei um charme usar ela por cima de biquíni), junto com shortinho jeans customizado, colar e boné de novo.

Repararam que o chinelo foi carro chefe na maioria dos looks, né? Tem coisa melhor que andar livre leve e solta por aí?!
Acompanhe também:
Facebook Twitter | Instagram

segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Respondendo a tag: One lovely blog award

Ok, tenho um problema com tags. A verdade é que sempre falo que vou responder e fico enrolada em meio a tantos outros posts, que acabo não dando conta de fazer. Mas dessa vez, a Camila, do Meninices da Vida e a Carol, do Uma cadeira por favor (duas super queridas) me indicaram pra uma super legal e como o fim de ano tá chegando, e com ele aquela vontade de voltar os olhos pra tudo que aconteceu nos últimos meses, analisando o que melhorou e o que pode melhorar ainda mais, já fui logo respondendo!
#1 Por que decidiu criar um blog e quando começou?
Criei o blog em 2008, quando entrei pra faculdade de comunicação, pra treinar minha redação escrevendo sobre coisas que gostava. Sempre mantive ele trancado, porque MORRIA (e ainda morro) de vergonha do que escrevo. Mas depois que comecei minha dieta fashion, destranquei a privacidade dele e entrei de fato pra essa blogosfera linda e encantadora!
#2 Quais benefícios o blog te traz?
Muitos, todos e incríveis! Sou muito grata por tudo que conquistei através do blog! As pessoas que conheci, os sonhos que realizei, a auto estima que ganhei e a certeza de que a gente pode muito mais que imagina!
#3 Qual é o post mais acessado?
O post em que contei sobre a experiência com minha dieta fashion: Um ano sem compras: o que aprendi com isso e esse DIY: como transformar calça masculina em saia.
#4 Você usa as redes sociais?
Muito! No meu trabalho, no dia a dia e pro blog. Sou meio/bem viciada, mas tenho tentado diminuir a frequência com que acesso cada uma das redes, especialmente o Facebook (mais alguém tá enjoado dele?). Adoooro ficar rolando as fotos do Instagram e as imagens do Pinterest. E, pra mim, a rede mais legal (ainda) é o Twitter (informação rápida e muito bom humor) #saudades.
#5 Como o blog tem evoluído?
Diariamente e um pouquinho de cada vez. Fico super feliz a cada nova descoberta, aprendizado e pequeno passo que dou em relação ao blog. Às vezes me pego bisbilhotando um post antigo e vejo como o texto, o conteúdo e as fotos melhoraram. E ainda falta muito pra melhorar!
A evolução da forma como me visto também é gritante! Além do fato de que agora o blog conta com parcerias importantes, colaboradores, leitoras queridas que estão sempre participando e trocando informações interessantes. Essa relação está cada dia melhor!
#6 Já viveu algum fato importante por causa do blog?
MUITOS! Mas os dois mais marcantes foram:
1 - Participar do Encontro com Fátima Bernardes.
2 - Participar do Globo Repórter.
Duas experiências incríveis, principalmente pra quem fez comunicação. Conhecer ícones do jornalismo e acompanhar a produção de dois grandes programas da TV brasileira.
E o principal: perceber o alcance que nossos atos podem ter! Nunca imaginei que minha história chegaria até eles e, de repente, estava lá, em rede nacional, falando sobre algo que surgiu de forma tão despretensiosa.
#7 De onde nasce a inspiração para escrever e continuar com o blog?
Do dia a dia, de outros blogs, de tudo que eu vejo por aí. Na verdade, ideias não faltam... o problema é ter tempo pra colocar todas elas em prática!
#8 O que você tem aprendido a nível pessoal e profissional esse ano?
Que tudo acontece na hora certa, que não adianta se lamentar pelo que não foi como você planejava e que, quando você tentar aproveitar as oportunidades que aparecem da melhor forma, tudo fica mais fácil.
#9 Qual é sua frase favorita?
All you need is love! Porque acredito que, se todas as pessoas adicionassem amor (com convicção e sem pretensões) em todas as esferas de suas vidas (trabalho, dia a dia, relacionamentos, etc), o mundo seria um lugar MUITO melhor.
#10 Qual conselho você daria para quem está começando agora no mundo do blogs?
Também estou começando! Mas estou lendo um livro que fala sobre identificar as particularidades de cada um. E, em meio a essa blogosfera cada vez mais "competitiva", acho importante refletir sobre o que cada pessoa tem a oferecer de diferente, pra acrescentar mesmo. Não é porque está dando certo pra alguém, que vai dar pra você também. Cada um é cada um, e ser você mesmo é fundamental. Acho que tem espaço pra todo mundo (e o legal desse ambiente é justamente isso)!
#11 O que os blogs que você vai indicar tem em comum?
Acho que não vou indicar um blog específico, uma vez que esse tema já está rodando há alguns dias na blogosfera e muita gente já respondeu. Mas indiretamente sugiro todas as leitoras desse espacinho querido aqui, que ainda não tenham participado, para responderem e me mandarem os links de suas publicações! Vou ficar super feliz em ler e conhecer um pouquinho mais sobre a história de vocês!

Acompanhe também:
Facebook Twitter | Instagram

sábado, 15 de novembro de 2014

Lua de mel no nordeste: passeios em Jericoacoara, uma vila supercharmosa!

Jericoacoara sempre foi um lugar que queria conhecer! Lembro de uma aula de geografia láá na quinta série quando aprendi que essa estava entre uma das dez praias mais bonitas do mundo. Depois que minhas irmãs foram, essa vontade só aumentou, já que elas voltaram com fotos lindas e falando super bem da vila.
Ela fica a quase quatro horas de Fortaleza. Quando se chega em Jijoca, deixa-se a estrada de asfalto e começa um verdadeiro rally (em 4x4 ou D20s, carinhosamente chamadas de pau de arara) por cerca de uma hora, num verdadeiro deserto de areia. Acho que esse isolamento e climinha de "aventura" pra chegar é uma das coisas que já surpreendem os turistas e deixam a viagem ainda especial.
Toda de areia, sem trânsito ou postes de iluminação, a vila de pescadores é definitivamente um charme. De dia, parece simples e calmo. À noite, todos os vários barzinhos se iluminam com velas e luzes coloridas em árvores e vozes e violões tocando MPBs delicinhas invadem o ambiente, deixando o clima super romântico.
Um dos primeiros passeios que fizemos foi a caminhada até a Pedra Furada, um dos cartões postais do lugar. Dá mais ou menos uma hora de caminhada, descendo pelas pedras até chegar à praia.
No dia seguinte, pegamos um passeio em direção ao oeste. Você paga em média R$50,00 por pessoa para o buggeiro que te guia pelo litoral, passando pelo braço de mar (o delta do guriu) onde tem um barquinho de madeira para ver cavalos marinhos. Depois, o buggy atravessa o delta numa balsa, passa pelo mangue seco, que tem uma vista linda e super diferente com as raízes das plantas todas expostas, até chegar na Velha e Nova Tatajuba (aí dá pra ver a força das dunas móveis, que soterraram a antiga vila e as dunas fixas, que começam a formar esculturas de pedra no local).
Lá, há também a Duna do Funil com mais de 80 metros, onde a galera descia de esquibunda e caia numa lagoa. Mas a falta de chuvas fez a lagoa secar e, dar de cara na areia, não despertou muito a minha vontade. Por fim, fomos pra Lagoa Torta, onde há redes e mesinhas pra lanchar com os pés na água!
Do lado leste, no dia seguinte, seguimos em direção à Lagoa do Paraíso, passando pela Árvore da Preguiça, outro cartão postal da cidade, pelos seus 4 metros de extensão, deitada na areia por conta dos fortes ventos.
A lagoa é realmente um paraíso, água cristalina, jangadas e redes pra passar o dia inteiro no sossego.
Nesse dia ainda fomos à Duna do Por-do-sol. Programa imperdível pra todo mundo que vai a Jeri (todos os dias, sobe uma multidão pra lá e a galera bate palma quando o sol se põe, é super bacana - tirando o vento forte!)
Algumas observações:
1 - Fomos na época que mais venta: de outubro a dezembro. E, dependendo de onde estiver, a força do vento é quase insuportável, além de deixar a água mais turva e, consequentemente, não tão bonita. Dizem que a melhor época para visitar é no inverno (março a setembro), que eles chamam de verão. É quando não há chuvas e ventos.
2 - Andar por Jeri é sempre uma aventura. Às vezes o carro atola nas dunas de areia e os moços precisam descer pra empurrar.
3 - Na Lagoa Torta pedimos o cardápio e eles trouxeram uma bandeja cheia de peixes recém pescados pra gente escolher!
4 - Ficamos no hotel Onda Blue, que é super charmoso, inspirado nas construções de Santorini, na Grécia. Tivemos ótimas referências também da Pousada do Maurício, que minhas irmãs ficaram, e é bem no centro da vila!
5 - As coisas na vila e região são bem em conta, inclusive as diárias. A água de coco chega a custar R$1,00! Vale super a pena!

Acompanhe também:
Facebook Twitter | Instagram
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...